Templates by BIGtheme NET

Em dia de clássico em dose dupla, Flamengo bate Vasco em 1º ato no NBB

Com duelo marcado para 17h no Maracanã pelo Estadual no futebol, time da Gávea derrota o arquirrival no basquete na Arena Carioca 1 por 89 a 75 sob os olhares de Anderson Varejão. Foto: Reprodução.
Com duelo marcado para 17h no Maracanã pelo Estadual no futebol, time da Gávea derrota o arquirrival no basquete na Arena Carioca 1 por 89 a 75 sob os olhares de Anderson Varejão. Foto: Reprodução.

Primeiro, na quadra. Depois, no campo. O dia 27 de janeiro reservou uma situação incomum para torcedores de Flamengo e Vasco da Gama. Na Arena Carioca 1, no início da tarde, clássico no basquete. No Maracanã, a partir das 17h (de Brasília), jogo pelo Campeonato Carioca no futebol. E, ao menos no primeiro ato do espetáculo, melhor para o Rubro-Negro. Os comandados de José Neto não se intimidaram com a torcida única de vascaínos nas arquibancadas, devido à determinação da polícia militar para os clássicos cariocas no Novo Basquete Brasil, e saíram vitoriosos pelo placar de 89 a 75 se mantendo na liderança do campeonato e chegando a oito triunfos consecutivos.

O cestinha do jogo foi David Jackson, do Vasco, com 18 pontos. Além disso, o americano contribuiu com cinco assistências. Entre os destaques do Cruz-Maltino, também estão Gustavo e Lucas Mariano, ambos com 10 pontos e cinco rebotes. Já do lado do Flamengo, quem chamou a atenção foram Rhett, com 15 pontos marcados, Olivinha, com oito rebotes, e Pecos, com cinco assistências. Com o resultado, o Flamengo se mantém na primeira posição da tabela, com 86.7% de aproveitamento, sendo 13 vitórias e duas derrotas. O Cruz-Maltino continua na 11º colocação, com 31.3% de aproveitamento, sendo cinco triunfos e 11 resultados negativos.

O ala-pivô do Vasco Guilherme Giovannoni analisou o duelo contra o Flamengo neste sábado.

— Tivemos muitos erros de comunicação. Lógico que o time do Flamengo está junto há anos e tem um entrosamento muito bom. Mesmo assim, cometemos muitas falhas que permitiram que eles convertessem muitas bolas fáceis. Nós temos que pensar jogo a jogo, a gente não pode pensar lá na frente. Tem que ser um jogo de cada vez. Vamos agora para Sorocaba, para uma quadra muito difícil de jogar, porém, eles não estão em um momento tão bom, então temos que tirar proveito disso. E continuar trabalhando, não tem outra forma.

Posicionado nas cadeiras atrás da cesta, estava o recém-contratado Anderson Varejão. Não foi dessa vez que o pivô, que ficou 16 anos fora do país entre clubes da Europa e da NBA, estreou pelo Flamengo. Apesar de bem fisicamente, o jogador está sem ritmo de jogo e treinou pouco com os companheiros. A tendência é que estreie contra Campo Mourão, no dia 1 de fevereiro, ou contra o Paulistano, dois dias depois, ambos os jogos com mando do Rubro-Negro na Arena Carioca 1. Simpático, o atleta de 35 anos foi bastante tietado pela torcida rival e posou para fotos, mas não falou com a imprensa após o duelo.

Desde que o Vasco retomou seu time profissional de basquete, o Clássico dos Milhões aconteceu 10 vezes, entre Estadual, torneios preparatórios de pré-temporada e NBB, contando o jogo deste sábado. Ao todo, o clube de São Januário venceu cinco partidas, uma pelo torneio Super Four 2016 em Fortaleza (CE), por 84 a 80, duas pelo Estadual, uma no NBB e uma na Tala BH, por 93 a 83. Já o rubro-negro tem cinco triunfos, três pelo Novo Basquete Brasil e outros dois pelo Campeonato Carioca de 2016. Houve ainda um confronto que terminou em W.O. a favor do Rubro-Negro pela ausência do Cruz-Maltino por questões de segurança. Naquela ocasião, o Fla foi declarado campeão estadual.

– Um clássico motiva a gente. Acho que todo mundo quer jogar um clássico como esse, de tanta história no basquete. Acho que vai servir para a nossa sequência, para o trabalho que estamos fazendo. Tivemos uma grande semana de treinos e conseguimos colocar tudo em prática. Fizemos o que o Neto pediu e saímos com a vitória. É seguir nessa sequência porque trabalhamos para chegar nesse momento e conseguir as vitórias – falou Arthur Pecos, camisa 23 do Flamengo.

O jogo

O Flamengo começou em ritmo forte. JP Batista abriu. Faltando 8m36, André Barbosa promoveu a entrada de David Jackson. Cubillan ampliou. Marquinhos fez no lance livre. Nezinho, de três, respondeu. Uma boa jogada de Renato empatou. Com a mão quente, Nezinho foi o responsável pela virada em novo chute de fora do garrafão com muita facilidade. Veio então boa sequência do Fla. Marquinhos, em chute curto, diminuiu. Marcelinho Machado, de três, pegou a dianteira para o Rubro-Negro, e Olivinha fez de costas. O Vasco respondeu, mas a bola certeira de Cubillan abriu cinco pontos. Marcelinho fez de longe, e o treinador mandante pediu tempo. Em seguida, JP Batista marcou na raça, abrindo 10. Hayes fez para os vascaínos. Cubillan acertou de três. Melhor, o time da Gávea terminou com 26 a 16 no placar.

No segundo quarto, a arbitragem deu técnica para Marquinhos, e David Jackson converteu o lance livre. Depois, marcou de fora do garrafão. Em linda tabela com Giovannoni, DJ enganou Rhett, e o camisa 12 fez, diminuindo a desvantagem para quatro pontos. JP Batista deu o troco partindo para cima de Lucas. Pecos fez na sequência. Dedé marcou para o Vasco. A torcida acordou com enterrada de Renato. Rhett respondeu bem no garrafão. DJ, em finta bonita, contabilizou dois. Marcelinho calou os rivais de três, e o Fla voltou a abrir boa vantagem. Hayes marcou dois, mas Pilar, sozinho, conseguiu três para o time da Gávea. João Vitor deu um tocaço, e Pecos converteu de fora do garrafão. No passe de Marcelinho, Rhett acertou a bandeja. Mais tarde, cravou bonito. Fim do segundo quarto com 51 a 39 para o líder do NBB (25 a 23 para o Rubro-Negro na parcial).

Na volta do intervalo, JP Batista pegou rebote de chute de Cubillan e marcou no garrafão. Gustavo deu o troco. Marquinhos apareceu com bola de três. Olivinha ampliou. Guilherme Giovannoni fez a torcida cantar com bola curta. Mas durou pouco. O armador venezuelano do Fla fez de fora do garrafão. Nos minutos finais do terceiro quarto, o Vasco da Gama teve uma reação, e os cruz-maltinos responderam. Mas, mais uma vez, o Flamengo esfriou a tentativa do time de São Januário com sucessivos pontos. Pecos, em bela bandeja no meio de três rivais, fechou a terceira parcial com placar de 69 a 57 para os comandados de José Neto (pela primeira vez, entretanto, o Cruz-Maltino foi melhor contanto só os pontos da parcial: 18 a 16).

Arthur Pecos abriu para o Flamengo na parcial final. Dedé fez de três para o Vasco. Em grande dia, Pecos, de novo, fez. A torcida estava mais quieta. De vez em quando, vaiava o Rubro-Negro. Mas o fato é que o time de José Neto ditava o ritmo e errava muito menos que seu adversário. A equipe de André Barbosa, apesar de tudo, não se entregava. Giovannoni e David Jackson marcaram. Mas Marquinhos, de três, ampliou. Pecos levou falta técnica, e DJ marcou lance livre. A torcida cruz-maltina vaiou muito quando o treinador adversário reclamou com a arbitragem. Ao levar quinta falta, João Vitor foi ejetado. Apesar desse momento, o time da Gávea estava tranquilo. E, no fim das contas, saiu com a vitória pelo placar de 89 a 75.

Torcida única em clássico entre Vasco x Flamengo no NBB. Foto: Marcelo de Jesus. (Reprodução)

Torcida única em clássico entre Vasco x Flamengo no NBB. Foto: Marcelo de Jesus. (Reprodução)

Escalações:

Vasco da Gama: Nezinho, Gustavo, Guilherme Giovannoni, Chris Hayes e Renato. Suplentes: Alexei, Luiz Felipe, Dedé, Fúlvio, Bruninho, Lucas Mariano e David Jackson. Técnico: André Barbosa.

Flamengo: Cubillan, Ronald Ramon, Marquinhos, Olivinha e JP Batista. Suplentes: Rhett, Mogi, Marcelinho Machado, Pilar, Arthur Pecos, Amorim e João Vitor. Técnico: José Neto.

Próximos compromissos:

Após o clássico, o Vasco da Gama volta à quadra como visitante contra a Liga Sorocabana no dia 30 de janeiro, às 20h (de Brasília) e, em seguida, encara o Mogi das Cruzes, também fora de casa, no mesmo horário, mas no dia 1 de fevereiro. O Rubro-Negro, por sua vez, jogará com o Campo Mourão no dia 1 de fevereiro, às 20h30, na Arena Carioca 1, e depois volta ao palco da final olímpica para duelar contra o Paulistano, no dia 3 de fevereiro, às 14h.

 

Fonte: GE.


Deixe um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com